O Destino da Perfumista: entrevista com Sophie Labbé

Conhecida como a "rendeira das flores", Sophie Labbé é a perfumista premiada por detrás de My Destiny. Com um espírito positivo, Sophie fala sobre como criou este aroma e explica porque é que ser perfumista foi o seu destino.

Não vem de uma família de perfumistas, como é que descobriu o seu talento para as fragrâncias?
Sempre me interessei por aromas, mas nunca imaginei que tal pudesse ser uma carreira!

Foi só quando fui estudar química na universidade que li um artigo sobre a escola de fragrâncias ISIPCA, e soube logo que era lá que queria estar, mas antes de me candidatar, precisava de conhecer um perfumista – Queria compreender o que era criar perfumes como profissão, então contactei o mestre perfumista Jean Kerlo. Por coincidência, ele era o presidente de admissão no ISPICA, e reconheceu-me quando me candidatei. Em vários aspetos, este era o meu destino em ação!

Então acredita que a perfumaria foi o seu destino?
Sim! Nem sempre o soube, mas a vida encarregou-se de me fazer acreditar que este era de facto o meu destino. Acredito que todos temos um caminho na vida e um objetivo que temos de alcançar.

Como uma pessoa que começou por estudar química, vê a criação de fragrâncias como uma ciência, ou tem uma visão mais romântica?
Definitivamente um pouco de ambas. Um perfumista tem de ser extremamente curioso e tem de procurar novas experiências, porque isso alimenta a inovação e imaginação. Contudo, tal como um espírito sensível, também tem de ter a racionalidade de um cientista – ambos os lados são importantes.

Acha que sente os aromas de forma diferente de outras pessoas?
Acho que não porque todos sentimos os aromas de forma diferente; as nossas perceções são realçadas por emoções e experiências. No entanto, provavelmente sinto mais aromas – é um pouco como um jogo: Passo por alguém na rua e tento adivinhar o perfume que estão a usar – como uma investigação. Quando eu viajo, acho superinteressante chegar a um aeroporto e pensar, “como é que eu defino o primeiro contacto com este país.”

A pedra semipreciosa turmalina foi usada para realçar My Destiny – qual é o seu significado?
Esta pedra é realmente especial pela sua energia positiva e capacidade de promover a confiança. Para mim, usar uma pedra preciosa é como usar um perfume – confere-lhe poder. A turmalina é associada à expressão de criatividade, que, na minha opinião, torna esta fragrância ainda mais especial; tem o poder da fragrância e a energia da turmalina.

O que é que lhe confere confiança e energia positiva?
O amor! Dá-me forma e faz-me mover montanhas. Sou capaz de me exceder e ultrapassar os meus limites quando me sinto amada. E a paixão. Também tenho de ser apaixonada pelo que faço, porque isso me deixa feliz, forte e determinada.

Pode falar-nos um pouco sobre as restantes notas em My Destiny? Como e porque é que as selecionou?
Quisemos criar um aroma que irradiasse energia positiva, pelo que a fragrância abre com notas de toranja e amora. No coração, a peónia foi um componente importante pois adiciona elegância. A flor de laranjeira confere poder à fragrância e, por fim, patchouli.

Para mim, o patchouli contém profundidade e mistério, uma aura que é importante para for My Destiny – ele tem algo de especial, é muito viciante.

Como foi criar My Destiny?
Foi um grande orgulho criar My Destiny, especialmente por ter sido a minha primeira colaboração com a Oriflame.



Texto: