Skip to main content Skip to main menu Skip to search
0 Itens no Cesto de Compras

Oriflame alerta para o impacto da exposição solar através de câmara ultravioleta.

Campanha de sensibilização ‘Proteção em Boas Mãos’ nas praias portuguesas

 
 
Praia de Monte Gordo, Praia de Quarteira, Praia da Rocha, Meia Praia, Praia do Farol, Praia da Rainha, Praia de Buarcos e Praia de Matosinhos são as nove praias que receberam o roadshow de sensibilização ‘Proteção em Boas Mãos’, que contou com o apoio institucional do Instituto Português Oncologia do Porto Francisco Gentil, entre os dias 28 de julho e 6 de agosto.

 

"Oriflame Sun Zone’ foi uma iniciativa de sensibilização para os cuidados a ter com a pele nesta estação do ano, com enfoque na exposição solar, que pretendeu mostrar gratuitamente aos veraneantes, através de uma câmara ultravioleta e de um monitor, o impacto que os raios UV têm na nossa pele e de como a proteção solar é importante na prevenção do cancro da pele.

A câmara ultravioleta (UV), que esteve disponível no espaço da marca, permitindo ver num monitor o estado da pele sem proteção solar e após a sua aplicação. Dando a perceber desta forma, como um protetor solar faz realmente toda a diferença para proteger a pele. 

“A aplicação de um protetor solar, diariamente, é imperativa para a promoção da saúde da pele, mesmo nos dias nublados, pois as nuvens só bloqueiam uma parcela dos raios solares. Um protetor solar adequado deve garantir proteção eficaz contra as radiações UVA e UVB, ser estável ao calor e à radiação UV, ter uma textura agradável e ser fácil de aplicar”, explica Cristina Abreu, Skin Care Specialist da Oriflame Portugal. Veja aqui o vídeo da Cristina sobre a ação:



A radiação UVA representa mais de 90% da radiação solar que nos atinge e, apesar de ter menor efeito direto sobre o ADN, penetra mais profundamente na pele e, por conseguinte, conduz ao envelhecimento cutâneo. A radiação UVB está associada às queimaduras solares e é responsável pela indução direta de dano ao ADN e pela formação de radicais livres. Se a exposição solar for exagerada e repetida, aumenta a probabilidade de se desenvolverem lesões crónicas, sinais de envelhecimento, ou mesmo cancro de pele.

A propósito desta iniciativa de sensibilização à população para a proteção da pele, o Instituto Português Oncologia do Porto Francisco Gentil deixou um alerta: A radiação UVA tem sido associada a 67% dos melanomas malignos e nove em cada 10 novos casos de cancro da pele derivam de uma exposição excessiva ao sol. 

 


 


#OriflameSunZone, #proteçãoemboasmãos #takecarehavefun